top of page

Exportações no Ceará chegam a US$ 1,38 bilhão no acumulado de 2023, aponta estudo Ceará em Comex


As exportações cearenses chegaram a US$ 1,38 bilhão no acumulado de 2023 até o mês de agosto, de acordo com o Ceará em Comex, estudo de inteligência comercial produzido pelo Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). Os números demonstram que houve retração de 19,6% em relação ao mesmo período do ano passado, colocando a balança comercial do Estado na 17ª posição do Brasil e 4ª do Nordeste.

São Gonçalo do Amarante foi o maior destaque entre os 59 municípios exportadores de janeiro a agosto, com montante de vendas no valor de US$ 786,17 milhões, correspondendo a 57,7% do total exportado pelo Ceará. Produtos relacionados a ferro e aço predominaram, tendo como principais destinos os Estados Unidos e México.

Já Fortaleza e Sobral atingiram, respectivamente, US$ 104,39 milhões (7,7% do total) e US$ 79,52 milhões (6%) em exportações. Na capital cearense, os segmentos de peixes, combustíveis e frutas tiveram maior participação, enquanto em Sobral houve predominância do setor de calçados.

Em todo o Estado, o setor de aço e ferro puxou a balança comercial no Ceará neste ano, totalizando US$ 750,27 milhões em vendas externas. Apesar do montante expressivo, houve redução de 20,5% se comparado a 2022.

O segundo setor mais atuante foi o de calçados, com US$ 186,23 milhões, seguido pelo de frutas, com US$ 86,10 milhões. Este último apresentou crescimento de 18,8% em relação a igual período do ano passado.

Na lista dos 138 países que compraram produtos cearenses em 2023, Estados Unidos, México e Alemanha foram os principais destinos. Estados Unidos e Alemanha registraram aumentos de 30,6% e 66%, respectivamente, no total importado do Ceará. Já o México diminuiu em 59% as compras.

Importações

O estudo Ceará em Comex trouxe, ainda, dados sobre as importações cearenses. Ao todo, o Estado comprou US$ 2,14 bilhões em produtos de outros países, uma diminuição de 41,4% em comparação ao acumulado de janeiro a agosto de 2022.

Fortaleza manteve sua posição de liderança, com 24,3% de participação no total importado pelo Ceará, seguida pelos municípios de São Gonçalo do Amarante (21%) e Maracanaú (16%).

Combustíveis, Produtos químicos orgânicos e Máquinas e equipamentos elétricos foram os segmentos de destaque no cenário de importação. O setor de combustíveis liderou as importações, totalizando US$ 537,85 milhões. No entanto, o número apresentou acentuada queda de 68%.

Com US$ 296,37 milhões em importações, o setor de produtos químicos orgânicos registrou redução de 19,6%. O segmento de Máquinas e equipamentos elétricos somou US$ 279,83 milhões, representando um crescimento de 8%.

No período analisado, a China foi o principal parceiro comercial do Ceará, contribuindo com importações no valor de US$ 809,27 milhões, 9,7% a menos que no ano passado. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar no ranking de 85 países importadores e atingiram US$ 465,42 milhões em compras. Também houve queda, desta vez de 58,3%. Em terceira colocação, ficou a Rússia, com importações totalizando US$ 88,03 milhões, queda de 13,7%.


Confira o estudo completo clicando aqui.


Comments


bottom of page