top of page

COPA DO MUNDO IMPULSIONA EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Uma rodada de reuniões entre importadores de construção do Kuwait, Sudão e Arábia Saudita aconteceu na sede da Câmara de Comércio Árabe Brasileira. Realizada pela entidade, em parceria com a Apex Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e associações de setor, o projeto tem o objetivo de intensificar as exportações brasileiras, promovendo uma série de ações aproveitando a Copa do Mundo.

O gerente geral da Bafajar Brothers for Multi Activities (Sudão), Malik Alkhatim, veio ao Brasil interessado na compra de materiais elétricos, como produtos de iluminação, cabos, plugues, conectores, interruptores, entre outros. Atuando no Sudão e no Sudão do Sul, a empresa compra a maior parte de seus produtos da China e Europa, além de ser distribuidora da francesa Schneider. Reginaldo Damião, representante da Magnamed, foi um dos exportadores que conversaram com Alkhatim. A Magnamed produz ventiladores hospitalares, com foco nos ventiladores pulmonares e de transporte em ambulâncias, além dos usados em unidades de terapia intensiva.

A empresa brasileira já exporta para vários países árabes, como Egito, Arábia Saudita, Jordânia, Líbano, Marrocos, Argélia, Tunísia e também para o Sudão. Atualmente, 40% do total de suas exportações têm como destino os países árabes.

Nos últimos três anos, a Magnamed aumentou em sete vezes o volume de vendas para essa região do globo e a expectativa para 2014 é dobrar esse número em relação ao exportado em 2013.

A ITG Construction, empresa da holding Sultan Center, do Kuwait, participou pela primeira vez de negociações no Brasil. A companhia ainda não compra materiais de construção do Brasil, tendo como principais fornecedores países como Estados Unidos, Itália e Alemanha. De acordo com Munish Gujral, diretor da empresa, os negócios serão fechados a partir destas rodadas.

Fonte: Guia Marítimo

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

GOVERNO REDUZ IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO DE VÁRIOS PRODUTOS

Produtos como arroz, feijão, carne e massas fazem parte da lista. O governo federal decidiu pela redução de 10% nas alíquotas do imposto de importação sobre vários produtos. O objetivo é, segundo o Mi

Komentáře


bottom of page