top of page

CAMEX REDUZ A ALÍQUOTA DE MATÉRIAS-PRIMAS

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu reduzir, temporariamente, para 2% o Imposto de Importação (II) sobre quatro matérias-primas industriais, que não são fabricadas em território nacional. Tal medida, anunciada ontem, foi tomada sob o pretexto de evitar desabastecimento no mercado interno. Um deles é o toner em pó, usado na recarga de cartuchos para impressoras e fotocopiadoras, que teve a sua alíquota reduzida de 14% para 2% por um ano.

A compra com tarifa reduzida, no entanto, está limitada a 1,7 mil toneladas, divididas em uma cota de 850 toneladas, que começou a vigorar ontem, vale até 9 de junho de 2015, e outra de mesma quantidade, válida para as importações entre 10 de junho de 2015 e 9 de dezembro de 2015. O que ultrapassar esse volume pagará o imposto integral. As chapas e as tiras de alumínio com espessura superior a 0,2 milímetro tiveram alíquota reduzida de 12% para 2%, a partir de 31 de janeiro de 2015. O benefício valerá por um ano, com cota de 2.937 toneladas. O produto é usado na fabricação de chapas quadradas ou retangulares, de bobinas, tubos e outros componentes de condensadores e radiadores de veículos. Usado na produção de cerâmicas, vidros, cristais e tijolos, o carbonato de bário teve o imposto reduzido de 10% para 2%, pelos próximos 12 meses.

A Camex também cortou, de 16% para 2%, a tarifa do polivinil butiral importado. O benefício valerá por seis meses, a partir de 1º de março de 2015, para uma cota de 5.818 toneladas. O insumo atua como adesivo entre duas superfícies de vidro, sendo usado na fabricação de vidros laminados.

Fonte: O Estado do Ceará

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page