top of page

BRASIL COMPRA 38% DE MANUFATURAS DA CHINA

Segundo a Divisão de Inteligência do Ministério das Relações Exteriores, em 2012 o Brasil importava da Ásia (principalmente China e Japão) 38,1% dos manufaturados que adquiria do exterior. Em segundo lugar vinha a União Européia (UE): 25,1% das compras dos produtos industrializados. Já os Estados Unidos fornecem 17,4% desses importados, enquanto nossos vizinhos da Associação Latino-americana de Integração (Aladi) eram a origem de 13,2%.

Em relação aos semi-manufaturados, que têm menor valor, as posições se alteram, demonstrando os diferentes níveis de progresso científico e tecnológico dos países. Nessa categoria, a Aladi assume a liderança, com 45,3% das importações, seguida por Europa Oriental (22%), enquanto a UE cai para o terceiro lugar (15,7%), seguida dos EUA (7,8%). Nesse tipo de comparação, a Ásia se torna a lanterninha (3,5%).

Citando estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, aponta para a significativa evolução da China como fornecedor de manufaturados ao Brasil. O país asiático já representa 17% do comércio brasileiro e é o principal parceiro comercial do Brasil.

“Enquanto as importações brasileiras da China se concentram em bens de alto valor agregado e de alta tecnologia, as compras chinesas do Brasil são basicamente de produtos primários e de baixo valor agregado. Atualmente, 97,6% do que o Brasil importa da China são produtos manufaturados. Já 82,76% das vendas do Brasil para aquele país são de produtos básicos.”

Já a fatia do Brasil nas importações de manufaturas mundiais mais do que dobrou entre 2005 e 2012: de 0,61% para 1,36%. E o país ano a ano continua ganhando posições no ranking dos maiores importadores mundiais desse setor, de 32º em 2005 para 20º, segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC).

Fonte: Monitor Mercantil

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

GOVERNO REDUZ IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO DE VÁRIOS PRODUTOS

Produtos como arroz, feijão, carne e massas fazem parte da lista. O governo federal decidiu pela redução de 10% nas alíquotas do imposto de importação sobre vários produtos. O objetivo é, segundo o Mi

Comments


bottom of page