GREVE DE SERVIDORES DA RECEITA FEDERAL COMEÇA NESTA SEGUNDA (27)

Ministro Ciro Nogueira deve se reunir com secretário da Receita Federal para resolver impasses

Começa nesta segunda-feira (27) a greve dos servidores da Receita Federal, aprovada na última quinta-feira (23) após reunião do Sindicato Nacional dos Auditores (Sindifisco).

Segundo declaração do presidente do Sindifisco, Kleber Cabral, à CNN, a maior parte dos auditores iria aderir à paralisação. A exceção é a área aduaneira, que iria continuar com as atividades em ritmo reduzido.

De acordo com o analista Caio Junqueira, o Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e o secretário da Receita Federal devem se reunir nesta segunda para tratar dos impasses.

Os servidores estão insatisfeitos porque o orçamento público aprovado para o ano que vem cortou verbas destinadas à instituição. Além disso, o texto aprovado no Congresso Nacional não prevê recursos para reajustar os vencimentos dos funcionários da instituição.

A decisão de entrar em greve foi tomada em uma assembleia geral dos trabalhadores com quase 4,3 mil participantes. Segundo o Sindifisco, quase 100% dos servidores apoiaram a paralisação.

Os funcionários da Receita também manifestaram apoio aos funcionários que estão entregando seus cargos na instituição. Desde o dia 15 de dezembro, auditores de todo o país estão abrindo mão das funções de chefia em protesto contra a falta de reajuste. Essa mobilização se acelerou com a aprovação do Orçamento 2022 no Congresso Nacional sem a previsão de recursos para os servidores da Receita Federal.

Segundo o Sindifisco, mais de 700 postos de chefia foram entregues na instituição, até o momento, em protesto contra os cortes no orçamento.

Com a greve, os servidores da Receita vão fazer operação padrão nas aduanas, com exceção a alguns tipos de cargas, como medicamentos e insumos da saúde. A paralisação não deve afetar o trânsito de quem está em viagem internacional.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) considera destinar parte dos recursos reservados no Orçamento para o funcionalismo, que ainda não têm destinação certa, para os servidores da Receita.

“Se formos dar reajuste linear, vamos dar 0,6% de reajuste para todos nesses R$ 2 bilhões. A gente não quer cometer injustiças, nem pra mais e nem para menos”, disse o presidente durante a live semanal na quinta (23).

*Com informações de Basília Rodrigues, Caio Junqueira e Tiago Tortella, da CNN, e da Agência Brasil

Fonte: CNN BRASIL